quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

Cogumelos recheados com presunto e queijo ricota

De todos os ingredientes que introduzi na minha alimentação nos últimos anos, os cogumelos são os mais surpreendentes.
Longe vão os tempos em que comprava cogumelos enlatados e os misturava na carne picada (ai os tempos de universitária). Desde que descobri os cogumelos frescos que são quase sempre presença assídua no meu frigorífico e quando falham, há sempre cogumelos secos na despensa. (no showcooking na Figueira da Foz conheci uma simpática senhora que me falou em cogumelos congelados mas ainda não experimentei)
Sou menina para juntar os cogumelos à carne, ao peixe ou atribuir-lhes o papel principal aos meus pratos. E os sacanas ficam sempre sempre perfeitos!
Um must-have nos jantares com amigos são cogumelos recheados! Todos gostam e há mil e um recheios possíveis. Nunca falha!
Ingredientes (para 4):
300 gramas de cogumelos (usei brancos)
1 queijo ricota
1/2 cebola picada
4 fatias de presunto
2 a 3 colheres de queijo de ovelha
tomilho, azeite, pimenta q.b
Preparação:
Retire os pés aos cogumelos, corte-os finamente e coloque numa frigideira com a cebola e um fio de azeite.
Tempere com pimenta e uma pitada de sal e tomilho. Mexa bem e deixe refogar durante 2 a 3 minutos.
Ligue o forno a 180º. Misture o queijo ricota e o queijo de ovelha ao refogado e ao presunto previamente cortado em cortado em tiras finas.
Recheie os cogumelos com esta mistura e coloque num tabuleiro de ir ao forno untado com um pouco de azeite.
Leve ao forno cerca de 15 minutos.
Com uma salada serve de um excelente prato principal.

segunda-feira, 22 de Setembro de 2014

Fool fingido de maçã e canela



Não tenho qualquer formação em nutrição ou saúde mas sou uma eterna curiosa sobre o tema, principalmente no que toca a comer bem e de forma saudável.
A verdade é que ter sempre “à mão” legumes e fruta biológica é uma bênção. O meu avô sempre disse que “a comida é o nosso combustível” e quando se fala em dietas a minha avó conta sempre que quando casaram e tinham os tostões contados ela lembrou-se de reduzir a posta do peixe. Diz ela que quando o meu avô viu aquilo que lhe disse que trabalharia noite e dia se fosse preciso mas na alimentação não se “cortava”.
Hoje com 75 anos o meu avô é provavelmente a pessoa mais saudável que conheço. Come quase tudo biológico e até a carne é caseira. Não gosta de doces e é um sacrifício para comer uma fatia fininha de bolo quando alguém faz anos
Eu sou apologista de que tudo faz falta. E uma sobremesa docinha, que alegra a alma, faz-me muita falta. E quando sinto uma forte vontade vingo-me em fruta e iogurte, juntos numa taça, como se fosse um fool, revigorante.
Este em tons de Outono vai direitinho para o desafiosaudável da Maria, espero que ela goste tanto quanto eu!

Ingredientes (para 4):
2 iogurtes gregos ou cremosos  (magros ou o%)
4 maçãs
1 colher de chá de mel
Canela a gosto
Nozes e avelãs q.b

Preparação:
Descasque as maçãs e corte-as em fatias finas.
Leve ao lume num tacho com o mel e a canela cerca de 5 minutos ou até começarem a caramelizar.
Deixe arrefecer e numa taça coloque a maçã e o iogurte por camadas. Finalize com nozes e avelãs.

sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

Bolo de coco e 3 anos de Frango!

É tão difícil pensar que já passaram 3 anos!
Mais de 250 posts depois, aquilo que começou como "um-caderno-de-receitas-virtual" continua a ser isso mesmo: um caderno de receitas virtual.
No entanto, passaram 3 anos e em 3 anos muitas coisas mudam. O Frango do Campo, mesmo sem qualquer pretensão de blogue pessoal, acabou por ser um reflexo de quem eu sou, dos meus estados de espírito e das mudanças da minha vida.
Em 3 anos, sem me aperceber muito bem disso, este Frango deu-me tanto. Parece um clichê, eu sei, mas quem tem blogues compreenderá melhor do que ninguém.
Se fizer o exercício de pensar como teriam sido estes últimos 3 anos da minha vida se não tivesse este blogue rapidamente percebo que algumas pessoas que entraram na minha vida não teriam entrado. Na mesma medida, provavelmente não teria superado alguns desafios nem vivido experiências tão boas.
3 anos depois continuo uma cozinheira amadora que cozinha o que quer, quando quer. Nunca ambicionei ter um restaurante, um livro ou ser profissional de cozinha.
Não é essa a minha meta. Os meus voos são outros. Quando saí de Lisboa, de trabalhos escravos e mal pagos e voltei para junto dos meus há 3 anos sabia que ia ser difícil. Sabia que tinha de pensar em mim, de parar de me lamentar e acreditar que esta pessoa que vos escreve tem algum valor. A meta ainda está longe mas o blogue tem sido, acreditem, uma grande bengala neste caminho.
Com ele descobri que era possível fotografar mais do que pessoas e rostos. Que a comida é muito fotogénica e há "props" de se perder a cabeça. Das estantes saíram alguns livros para dar lugar a outros, mais técnicos, mais coloridos e cheios de lindas fotografias e receitas. Quanto à despensa, essa malandra ficou recheada de ingredientes que há 3 anos nunca tinha ouvido falar.
Este blogue não é o meu sustento e não trabalho para que o seja. Mas é uma parte de mim. Angustia-me saber que não tenho tido tanto tempo quanto gostaria para cozinhar e "postar" nem de visitar blogues de que tanto gosto.
Obrigada a todos os que passam por aqui, pelo facebook ou instagram, que me deixam mensagens sempre carinhosas e aos que passam em silêncio. Hoje o dia é vosso. Sirvam-se de uma fatia!
 (receita do doce livro  Os Bolos da Julie)
Ingredientes:
200 gramas de manteiga à temperatura ambiente
350 gramas de açúcar
5 ovos
435 gramas de farinha
235ml de leite de coco

Cobertura e recheio:
200 gramas de queijo creme
100 gramas de manteiga sem sal à temperatura ambiente
150 gramas de açúcar em pó
coco ralado

Preparação:
Pré-aqueça o forno a 180º.
Unte uma forma redonda de 22cm de diãmetro.
Com a batedeira, bata a manteiga até obter uma consistência fofa. Adicione o açúcar e bata bem.
Acrescente os ovos um a um, batendo bem entre cada adição.
Junte a farinha, intercalando-a com o leite de coco.
Coloque a massa na forma e leve ao forno cerca de 30 a 40 minutos ou até o bolo estar seco. Deixe o bolo arrefecer e corte-o em dois.
Para a cobertura e recheio bata os ingredientes todos (excepto o coco ralado) até estarem bem misturados e ter uma consistência cremosa.
Recheie com o creme e polvilhe generosamente com coco ralado. Faça o mesmo com o topo do bolo.

terça-feira, 2 de Setembro de 2014

Tarte de ruibarbo e morangos

E chegou Setembro.
Juro que ando doente com a passagem cada vez mais rápida do tempo. Parece que engoli um gravador, eu sei, sempre a falar do mesmo, mas é algo que me assusta.
Tenho de confessar que sou péssima na gestão de tempo. Quando faço algo de que gosto muito entusiasmo-me de tal maneira que só paro quando estiver finalizado. Se, por outro lado, tenho de fazer alguma coisa de que não gosto tanto, arrasto, arrasto... E pior, qualquer mosca distrai a minha atenção.
Com o tempo (ah esse malandro, é sempre tudo em torno dele) tenho aprendido a coordenar-me melhor (até porque trabalhar em casa não é fácil, acreditem) mas continuo a aplaudir de pé as mulher com filhos, vidas profissionais super agitadas (no bom sentido), com blogues, cujo tempo parece que estica.
Eu sei que não estica. Sei que o dia delas têm exactamente o mesmo tempo que o meu e o de todos nós mas tenho muito respeito e admiração por elas. Um dia quero ser assim :)


Esta tarte foi a sobremesa de um daqueles almoços prolongados deste Verão. Desapareceu em menos de nada e o meu pai só dizia que parecia marmelada! Por norma coloco as receitas na altura que as faço mas esta ficou perdida durante um mês assim como as notas da receita. Espero que as quantidades estejas certas! Qualquer dúvida enviem email ou mensagem via facebook :)

Ingredientes:
1 placa de massa quebrada ou ver aqui a receita
500 gr de ruibarbo
100 gramas de morangos
150 gramas de açúcar
1 raminho de hortelã-chocolate
200 ml de leite
2 c. sopa de fazinha maizena
2 folhas de gelatina

Preparação:
Ligue o forno a 180º. Coloque a massa quebrada numa tarteira, faça uns furos na massa para respirar,  forre com papel vegetal e cubra com feijões e leve ao forno cerca de 20 minutos ou até estar bem cozida. Reserve.
Retire os fios do ruibarbo e corte aos bocados.
Num tacho, coloque o ruibarbo, a hortelã e os morangos com o açúcar e leve ao lume até o ruibarbo se começar a desfazer.
Retire do lume, retire o raminho de hortelã e triture com a varinha mágica.
Coloque novamente ao lume o tacho até ferver. Misture a farinha com 2 a 3 colheres de sopa de leite e reserve.
Adicione o restante leite e deixe levantar fervura. Junte a mistura de farinha e leite e deixe engrossar (cerca de 10 a 15 minutos) mexendo sempre.
Demolhe as folhas de gelatina e junte à mistura anterior, mexendo bem.
Deixe arrefecer por completo e coloque por cima da massa quebrada. Leve ao frigorífico pelo menos 3 horas ou até estar bem sólida.